Minc defende metas de emissão para países emergentes

19/03/2009

As discussões para um novo acordo da ONU contra o aquecimento global estão sob ameaça de um "apartheid climático" entre países ricos e pobres, e as economias emergentes precisam fazer sua parte assumindo metas para restringir a emissão de gases do efeito estufa, afirmou o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc.

Os países em desenvolvimento, como Brasil, Índia e China, devem adotar metas de emisão, mas os países ricos precisam cumprir as promessas relativas às atuais metas climáticas e transferir tecnologia e verbas para os países pobres, disse em entrevista o ministro.

- Sou a favor de metas quantificáveis e mensuráveis para inverter o crescimento das emissões, diferenciadas para cada país (em desenvolvimento) - disse Minc em entrevista na noite desta quarta-feira.

Países pobres até agora ficaram isentos de cumprir metas de emissão de gases-estufa, responsáveis por acelerar o aquecimento global, e não se espera que seja estabelecido algum limite de emissão como parte de um novo acordo. O Brasil busca um papel de negociador na reunião de Copenhague, em dezembro, que vai discutir um novo tratado de clima para substituir o Protocolo de Kyoto após 2012.

O principal dirigente da ONU para questões climáticas, Yvo de Boer, disse nesta semana que ainda não há propostas específicas, inclusive com relação a mecanismos de financiamento, que possam levar a um acordo, classificando como "preocupante" o avanço tímido.

- Hoje existe um apartheid climático entre os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento, há uma desconfiança muito grande - afirmou o ministro.

O Brasil pretende conciliar as posições de Índia e China e tem conversado com esses dois governos, segundo Minc.

- Há um diálogo, mas também diferenças. A China se esconde por trás de outros países em desenvolvimento como se tivesse as mesmas emissões que Papua-Nova Guiné, e isso não vai colar - armou Minc.

O governo está finalizando sua proposta sobre metas, disse Minc, que defende não só um limite, mas também reduções nas emissões do país. No ano passado, ele apresentou um plano para reduzir à metade nos próximos dez anos o desmatamento da Amazônia, o que evitaria a emissão de 4,8 bilhões de toneladas de dióxido de carbono.
(JB Online)


Outras notícias:

19/12/2018
CAIXA POSTAL ECOAR
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIAS PARA O ECOAR: CAIXA POSTAL 79626 - CEP.: 03064-970

30/11/2018
Instituto Ecoar colabora com o programa de sustentabilidade da Rio Tinto
A presidente do Ecoar, Miriam Duailibi, a convite da Rio Tinto, vem trabalhando presencialmente com a equipe do escritório de São Paulo e remotamente com a equipe de São Luís, questões relevantes para a sustentabilidade.

01/10/2018
Entrevista Miriam Duailibi TV Aparecida
Acesse o link e assista e entrevista.

26/09/2018
Observatório da Governança das Águas - OGA
Acesse e conheça o OGA. O INSTITUTO ECOAR FAZ PARTE DESSE OBSERVATÓRIO TÃO IMPORTANTE NO TEMA.

26/09/2018
MUDANÇAS CLIMÁTICAS - Notícias
Para saber mais sobre as mudanças climáticas em curso, clique no link do material elaborado pelo Instituto ClimaInfo ( www.climainfo.org.br ), organização na qual a presidente do Ecoar participa como conselheira.

18/09/2018
Guias de EA da ESEC Caetés e RVS Gurjaú
Elaborados os Guias de Educação Ambiental da Estação Ecológica de Caetés e do Refúgio da Vida Silvestre Matas do Gurjaú.

17/09/2018
REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ECOAR PARA A CIDADANIA
Com base no MROSC, desde 2017 o Ecoar instituiu o Regulamento Interno de Compras e Contratações. Acesse o link.

13/07/2018
Exposições Fotográficas Itinerantes PE
Ecoar realiza exposições fotográficas sobre Unidades de Conservação em Pernambuco

14/03/2018
Fórum Mundial da Água e Fórum Alternativo Mundial da Água
O Instituto Ecoar que compreende a água como direito e não mercadoria, estará participando ativamente do Fórum Mundial da Água que acontecerá em Brasília de 18 a 22 de março, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães e também do Fórum Alternativo Mundial da Água – FAMA, que terá lugar na Universidade de Brasília de 17 a 22 de março e da Vila Cidadã no estádio Mané Garrincha. Acompanhe nossa agenda

30/01/2018
ECOAR, SENAES e REDE VERDE SUSTENTÁVEL
Conheça o projeto Fortalecer e Organizar os Catadores da Região Metropolitana de São Paulo. Clique aqui para visitar o site do projeto!



Veja todas as notícias