País rico deve cortar CO2 em 40% até 2020, dizem ONGs

09/06/2009

AFRA BALAZINA
da Folha de S.Paulo

Enquanto o mundo patina na tentativa de fechar o novo acordo do clima, ONGs mostram um caminho possível para evitar uma mudança climática catastrófica: os países industrializados precisam reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 40% até 2020 -em relação às emissões de 1990.

Esses gases, entre eles o CO2, provocam a mudança climática. Para impedir que ocorra um aumento de mais de 2ºC na temperatura até o final deste século, limite considerado seguro, o corte de emissões deve ser de 95% até 2050.

Os números integram a proposta de acordo do clima feita pelo Greenpeace, WWF, IndyACT (liga independente dos ativistas), Germanwatch, Fundação David Suzuki, Centro de Ecologia Nacional da Ucrânia e especialistas. A sugestão foi divulgada ontem em Bonn (Alemanha), local de um evento preparatório para a Conferência do Clima de Copenhague.

As emissões de desmatamento, diz a proposta, precisam ser reduzidas em pelo menos 75% em todo o mundo até 2020, em relação aos níveis de 1990. Para as ONGs, é fundamental que o tema entre no acordo, já que o desflorestamento corresponde a cerca de 20% das emissões globais.

Segundo o documento, as emissões no mundo não podem continuar subindo depois de 2017, ano em que devem atingir o pico. Os países em desenvolvimento podem adotar metas voluntárias e reduzirem suas taxas em 51% até 2050.

Os autores ressaltam que a proposta "é um trabalho em andamento". Porém, para Marcelo Furtado, diretor-executivo do Greenpeace Brasil, a iniciativa é importante para que a sociedade tenha com que comparar as propostas que forem apresentadas. "Ainda não há nada na mesa. Isso deveria ser a base da negociação. É um documento justo, realista, que atende a necessidade que a ciência está nos colocando."

Pesquisas científicas recentes indicam que, se as emissões forem 25% acima dos níveis de 2000 em 2020, a chance de exceder em 2C a temperatura será maior do que 50%.

Segundo Karen Suassuna, do WWF, os países desenvolvidos teriam, pela proposta, duas obrigações: além de reduzir suas emissões, precisam financiar o corte de emissões e a adaptação à mudança no clima nos países mais pobres.

Para isso, o documento aponta que os países ricos -que ao longo da história contribuíram mais para a mudança climática-- precisam angariar US$ 160 bilhões ao ano, no período entre 2013 e 2017.

Carlos Scaramuzza, do WWF, espera que o documento seja uma referência ao debate. Mas é provável que a proposta influencie pouco as negociações do clima. Até agora, o presidente dos EUA, Barack Obama, disse querer reduzir as emissões do país aos níveis de 1990 até 2020, e em 80% até 2050. Já a União Europeia disse que irá cortar 20% até 2020 (dependendo do compromisso dos outros países, pode chegar a 30%) e 80% até 2050.

Outras notícias:

19/12/2018
CAIXA POSTAL ECOAR
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIAS PARA O ECOAR: CAIXA POSTAL 79626 - CEP.: 03064-970

30/11/2018
Instituto Ecoar colabora com o programa de sustentabilidade da Rio Tinto
A presidente do Ecoar, Miriam Duailibi, a convite da Rio Tinto, vem trabalhando presencialmente com a equipe do escritório de São Paulo e remotamente com a equipe de São Luís, questões relevantes para a sustentabilidade.

01/10/2018
Entrevista Miriam Duailibi TV Aparecida
Acesse o link e assista e entrevista.

26/09/2018
Observatório da Governança das Águas - OGA
Acesse e conheça o OGA. O INSTITUTO ECOAR FAZ PARTE DESSE OBSERVATÓRIO TÃO IMPORTANTE NO TEMA.

26/09/2018
MUDANÇAS CLIMÁTICAS - Notícias
Para saber mais sobre as mudanças climáticas em curso, clique no link do material elaborado pelo Instituto ClimaInfo ( www.climainfo.org.br ), organização na qual a presidente do Ecoar participa como conselheira.

18/09/2018
Guias de EA da ESEC Caetés e RVS Gurjaú
Elaborados os Guias de Educação Ambiental da Estação Ecológica de Caetés e do Refúgio da Vida Silvestre Matas do Gurjaú.

17/09/2018
REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ECOAR PARA A CIDADANIA
Com base no MROSC, desde 2017 o Ecoar instituiu o Regulamento Interno de Compras e Contratações. Acesse o link.

13/07/2018
Exposições Fotográficas Itinerantes PE
Ecoar realiza exposições fotográficas sobre Unidades de Conservação em Pernambuco

14/03/2018
Fórum Mundial da Água e Fórum Alternativo Mundial da Água
O Instituto Ecoar que compreende a água como direito e não mercadoria, estará participando ativamente do Fórum Mundial da Água que acontecerá em Brasília de 18 a 22 de março, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães e também do Fórum Alternativo Mundial da Água – FAMA, que terá lugar na Universidade de Brasília de 17 a 22 de março e da Vila Cidadã no estádio Mané Garrincha. Acompanhe nossa agenda

30/01/2018
ECOAR, SENAES e REDE VERDE SUSTENTÁVEL
Conheça o projeto Fortalecer e Organizar os Catadores da Região Metropolitana de São Paulo. Clique aqui para visitar o site do projeto!



Veja todas as notícias