Instituto ECOAR aciona Defensoria Pública de São Paulo para resolver a deplorável situação do Lixão de Itapeva - Fonte: DPE/SP Data: 6/7/2015

07/07/2015

O lixão de Itapeva, cidade a 290 km da Capital paulista, é a fonte de renda há cerca de 15 anos de Joel Paz de Almeida, de 32. Ele e a esposa trabalham como catadores de materiais recicláveis no local, que na última terça-feira (30/6) recebeu a visita do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública de SP.
 
O objetivo do Núcleo é avaliar a implementação das Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos. O Defensor Público Rafael Lessa Vieira de Sá Menezes, que é coordenador auxiliar do Núcleo e participou da visita, avaliou como grave a situação no local, pois a cidade não possui plano municipal de resíduos sólidos e quase não há interação entre prefeitura e catadores.
 
Constatou-se que não estão implementadas no local as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), que traz como objetivos a “integração dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis nas ações que envolvam a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos”.
 
Catação
 
Papelão, latinhas, garrafas PET e plásticos finos são alguns dos materiais buscados todas as manhãs por Joel, que mora no bairro carente de Vila Santa Maria com a esposa e os filhos, duas meninas de 12 e 10 anos e um bebê.
 
Tudo é estocado e, no fim do mês, vendido para empresas que fazem a reciclagem. Os itens mais valiosos são as garrafas PET, vendidas a R$ 0,55 por quilo. Já papel branco, livros e caixinhas de leite não são procurados porque o valor pago é muito baixo (o quilo do papel branco vale R$ 0,05, por exemplo).
 
O serviço é feito sem luvas ou qualquer outro material para proteção, exceto uma barra de metal usada para remexer os resíduos. Cacos de vidro já provocaram cortes nas mãos e nos pés de Joel, mas ele diz que os ferimentos são mais comuns em quem está começando no trabalho. Doença provocada pelo trabalho ele diz que nunca teve.
 
A venda dos recicláveis rende a Joel mensalmente entre R$ 500 e R$ 600, mas o valor já chegou a R$ 1.200 em mês com muitos materiais encontrados e de preço em alta.
 
Cooperativa
 
O Defensor Rafael Lessa afirma que os trabalhadores do local têm uma auto-organização para o trabalho, mas que ainda não é formalizada como cooperativa. Ele ressaltou que a prefeitura deve fornecer todo o suporte para que os catadores se constituam como cooperativa e para sua contratação, com remuneração, fornecimento de infraestrutura e maquinário adequado.
 
Durante a tarde, a Defensoria se reuniu com as Secretarias de Coordenação e Planejamento e de Recursos Hídricos e com a Procuradoria do Município, que se comprometeram a discutir a questão e desenvolver uma agenda para uma política municipal de resíduos sólidos que contemple a inclusão social dos catadores. O Município tem reunião marcada dia 14/7 com moradores para apresentar um plano de atuação.
 
Diagnóstico
 
A visita ao lixão foi acompanhada por Marineide Alves Santos, do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, que entregou um diagnóstico do local, elaborado em parceria com a Rede Verde Sustentável, Instituto Ecoar para a Cidadania e Unisol Brasil.
 
O documento aponta a presença de urubus, trabalhadores atuando em situação de risco, materiais depositados em vala sem proteção do solo e das pessoas, trazendo também vários relatos de catadores. Os textos apontam a baixa renda obtida, a falta de reconhecimento do trabalho, a necessidade de criação de uma cooperativa e de condições de trabalho com equipamentos e segurança.

Veículo: DPE/SP
Data: 6/7/2015



Outras notícias:

22/12/2016
EXPOCATADOR 2016
O Instituto Ecoar participou da 7ª Edição da Expo Catadores, evento realizado em Belo Horizonte nos dias 28 a 30 de novembro no Centro Mineiro de Referência em Resíduos Sólidos.

12/12/2016
Evento de encerramento das atividades do programa Agua Boa em São Paulo
No dia 25 de novembro de 2016, o Instituto Ecoar em parceria com a FABHAT, o Comitê de Bacias do Alto Tietê e o Comitê de bacias do Paraíba do Sul e apoio da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas, promoveu o evento de encerramento das atividades do programa Agua Boa em São Paulo.

21/11/2016
Cultivando Água Boa em São Paulo: Cenários e Práticas
CONVITE: Cultivando Água Boa em São Paulo: Cenários e Práticas. Data: 25 de novembro de 2016 Local: Auditório Faculdade de Economia - Fundação Getúlio Vargas – São Paulo. Horário: 13h00 as 18h00

11/10/2016
Seminário "Caminhos para o Financiamento da Educação Ambiental"
O seminário Caminhos para o Financiamento da Educação Ambiental, aconteceu na segunda-feira, dia 10/10 no SESC Consolação.

13/08/2015
Presidente do Ecoar tem estudo publicado em livro no Canadá
Lançado nesta semana, em Toronto, Canadá o livro “Planetary Praxis & Pedagogy: Transdisciplinary Approaches to Environmental Sustainability.” (Pedagogia e Práxis: Abordagens Transdisciplinares para a Sustentabilidade Ambiental).

07/07/2015
Instituto ECOAR aciona Defensoria Pública de São Paulo para resolver a deplorável situação do Lixão de Itapeva - Fonte: DPE/SP Data: 6/7/2015
Após mais de um ano de tratativas junto ao poder público municipal em busca de resolução dos graves problemas vivenciados pelos catadores de Itapeva no lixão do município, sem obter nenhuma medida concreta de resolver a situação dos catadores que ali trabalham, o ECOAR convidou seus parceiros, o Movimento Nacional de Catadores, a Unisol Brasil e a Defensoria Pública para ver de perto os impactos ambientais causados pelo lixão e as péssimas condições em que ali trabalham os catadores. Por meio da sensibilizacão destes atores, o Ecoar espera que os catadores tenham mais força para pressionar a prefeitura de Itapeva a apresentar alternativas de trabalho e renda às famílias que, há algumas gerações, tiram seu sustento do lixão, cujas condições de trabalho e fitosanitárias pioram a cada dia.

21/10/2013
Videos Brasil Alternativo
Clique na imagem acima para ter acesso aos links e assistir os vídeos da serie "Brasil Alternativo", produzido pelo Instituto Ecoar para a Cidadania com apoio do Ministério do Meio Ambiente e da TV Cultura.

03/08/2012
EMAIL ECOAR


05/06/2011
Podcast Ecoar


02/05/2011
O Instituto Ecoar e a agência de comunicação Nova Estratégia reúnem Palmeiras e Corinthians em torno da causa sociambiental no projeto Jogando pelo Meio Ambiente


Veja todas as notícias